Cursos específicos para BACEN e CVM contato@macetesparaconcursos.com.br
Av. Brig. Faria Lima, 1.461 - 4o Andar - São Paulo/SP

 

AGORA VAI – BACEN 2023!

 

Importante:   Antes de seguir com a leitura, siga as instruções abaixo:  

Caso 1) Se você já é nosso aluno ou se não é mas já vem estudando:   ESTUDE! Siga em sua programação de revisões e leia o texto a seguir;

Caso 2) Se você acredita que o que temos para dizer se trata de mais um esforço de vendas de um cursinho: Relaxe, interrompa a leitura e vá se divertir.

 

Prezados(as) alunos(as) do Curso MACETES e público seguidor em geral, hoje é 18-abril-2022, segunda-feira, decidimos publicar esta nota em atenção aos diversos e-mails que temos recebido de quem já é nosso aluno, de quem pretende ser e também daqueles que só pedem informação. Aqui, brevemente discorreremos sobre declarações dadas pelo sindicato do BACEN e daremos outras visões externas à autarquia. Reiterando o que afirmamos em nossa última publicação, em 01-março-2022[1], o concurso para o Banco Central do Brasil ocorrerá em 2023.

 

MOTIVO DESTA PUBLICAÇÃO

Duas entrevistas concedidas pelo sr. Fabio Faiad, atual presidente do SINAL – Sindicato dos Trabalhadores do Banco Central do Brasil – aos cursos Estratégia[2] e Direção[3] nas datas 31-março-2022 e 14-abril-2022, em suas redes Instagram e YouTube, respectivamente.

Interessante observar que as fontes consultadas pelo sr. Fabio Faiad são outras, no nível do BCB e Min. Economia, diversas das nossas, no nível parlamentar. Chamou-nos a atenção a sinalização obtida por ele, o que vem complementar o que já havíamos declarado em 01-março último, por nossos meios.

 

TEOR DAS ENTREVISTAS

Fabio comenta que no início deste mês de abril-2022 esteve com o secretário de gestão de pessoas do Ministério da Economia, o sr. Leonardo José Mattos Sultani, que sinalizou que os procedimentos para a realização de um novo concurso estão andando, há previsão na L.O.A. Sempre bom lembrar que a possibilidade de novos concursos se deveu ao atendimento por parte da atual gestão de governo dos limites de gastos. Grifos nossos: “Atendimento este que custou ao funcionalismo anos sem reajuste salarial, corte em concursos, assim como outras medidas de austeridade com vistas à redução das despesas públicas; mais notadamente no executivo federal.”

Comenta ainda que, aos olhos do Ministério da Economia, o concurso para o BACEN é um dos prioritários. Grifos nossos: “Segundo o atual Governo, a Receita Federal, Banco Central, CVM, STN, dentre alguns outros poucos, são o serviço público principal, de primeira grandeza, de maior importância...”. Comenta ainda que esteve em conversas com o presidente o Banco Central, o sr. Roberto Campos Neto, e este mostrou-se bastante positivo para os pleitos da categoria que vão muito além do que fora foco nestas duas entrevistas (concurso) e, no tocante a um novo concurso, disse estar positivo e apoia tal reivindicação. Afinal de contas, caros(as) alunos(as), nosso último concurso se deu em 2013.

 

SITUAÇÃO REAL DENTRO DA CASA (BACEN)

Hoje, o BACEN possui um déficit de pouco mais de 3 mil servidores. Isso sem considerar a fila de servidores para se aposentar só neste 2022. O banco está funcionando bem apesar da escassez de pessoal em áreas críticas mas, com novas aposentadorias e já há quase dez anos sem o concurso, a autarquia corre risco real de crise operacional que é aquela que ocorre em função da falta de pessoal; conforme já declarou antes Roberto Campos Neto.

Contudo, prezados(as), não romanceemos aqui! Não é a escassez de servidores, as pressões dos sindicatos que movem as peças no tabuleiro desse jogo mas sim interesses de natureza puramente política. Dando nome aos bois: “A reforma administrativa”. Já tivesse sido aprovada, já teríamos tido autorizada a Receita Federal e BACEN. Como sabemos, a atual gestão optou por não mexer na reforma neste ano. Faz sentido, dado que é um pacote de medidas antipopulares que governo algum ousaria mexer em ano onde se tenta uma reeleição.

 

TEORIAS CONSPIRACIONISTAS (OU NÃO) ACERCA DAS GREVES

Todo ano de eleição presidencial é ano de pleitear melhorias para as carreiras. É momento de tentar aquele reajuste salarial já há seis anos devido, é hora de pleitear a equiparação do cargo de analista ou de auditor como na Receita Federal. A reboque, como um pedido assessório, vem o pedido de um novo concurso.

Segundo deputados consultados (de dois partidos opostos mas no núcleo da Reforma Administrativa), já se sabia desde o ano passado que ocorreriam movimentações como as greves da Receita, BCB, dentre outros órgãos, no intuito de “colocar uma faca contra a garganta do governo” e exigir aumentos, equiparações, dentre outros pleitos (concurso, por exemplo). Greves, entregas de cargos comissionados (não exoneração. Nenhuma ocorreu...). O Governo sinalizou um reajuste pobres 5% que as categorias negaram de imediato.

O funcionalismo pede, o Governo concede 5%, as categorias negam... Se o Governo não conceder novos aumentos, seguem as manifestações grevista. Se o Governo cede e concede os vinte e sete e poucos por cento, possivelmente irá estourar limites de gastos. Ou seja, é uma situação de ‘Xeque Mate’ que foi articulada para ocorrer próximo às eleições! Não tem a ver com o BCB ou Receita mas sim com política.

O que estamos tentando passar aqui, caro(a) aluno(a) é que não é o concurso o pleito principal; mas apenas um reflexo. Os motivadores são outros e não entraremos nesta celeuma neste texto, mesmo porque o curso não é um canal político e nem pretende ou irá se tornar um. Discussões sobre a justeza ou não dos reajustes aos servidores públicos federais num país com a distribuição de renda como a do Brasil, falta de investimento nos setores de base, falta de investimento na educação de base, poderiam render-nos dias de discussão e meses ou anos de considerações.

 

ELEIÇÕES 2022

Foram-nos passados dois cenários:

A) Vitória de Bolsonaro – Vida que segue. O país precisa andar. O serviço público (em suas funções típicas de Estado[4], frise-se) continuará. Será concluída a Reforma Administrativa no 1º. Semestre de 2023 e, após ela e somente após ela, concursos para a Receita Federal, BACEN, STN, dentre alguns outros, no 2º. Semestre de 2023;

B) Derrota de Bolsonaro – No caso de a atual gestão não se manter, a Reforma perderá mais ainda identidade com o texto originalmente proposto. Neste cenário, a questão do funcionalismo perde foco e uma autorização para a Receita Federal poderá ocorrer ainda em 2022. Autorizada a Receita, vem a do BACEN. Neste cenário, as autorizações ocorreriam mesmo antes de finalizada a Reforma e provas ocorreriam no 1º. Semestre de 2023.

MUITO IMPORTANTE termos em mente que os reais motivos da Reforma Administrativa não são os servidores do BCB, Receita, Tesouro, CVM, TCU, BNDES, AGU, PF, dentre alguns outros. Esta reforma já ‘desidratou’ do que era pretendido de início. Boatos como sujeição da aprovação de novos servidores em estágio probatório a pessoal de indicação política são crenças sem fundamento e já superadas, assim como foram os boatos de que todo o serviço público entraria no ‘Carreirão’. Terror político, só isso.

 

O QUE O MACETES ESTÁ FAZENDO?

Em nosso contrato de prestação de serviços é previsto que, dentre outras atividades, as atualizações de conteúdos se darão após a publicação do edital. Contudo, achamos prudente, neste 2022, ainda que antes da autorização, realizar:

1) Regravação integral das disciplinas de SFN e SBP. Tais assuntos tiveram suas legislações consolidadas de 2021 até março-2022 e, só então, demos início às gravações pela professora Maria Camila. Entregas iniciam no final de abril-2022;

2) Finanças pelo professor Erick Mizuno. Entregas iniciam no final de abril-2022;

3) Atualização de todo o conteúdo de COSIF, IASB, CPC e Supervisão pelo professor Enrico Dalla Riva;

4) Conclusão do Curso de Administração e Gestão pelo professor Erthélvio Nunes;

5) Estamos viabilizando um curso de TI (no nível da prova para o TCU) junto a profissionais especialistas e certificados que trabalham com esses assuntos em grandes empresas. Essa proposta se deve à demanda que temos tido por algo no nível daquela prova (TCU). Esse curso será comercializado à parte e por valor a ser definido;

6) Procuraremos realizar uma série de entrevistas/consultas com o professor Claudio Filgueiras sobre a carreira no BACEN, tendências, desafios e oportunidades. Contudo, como o professor está investido em um cargo executivo no banco, depende de autorização formal quanto à natureza da entrevista e teor.

 

CONSIDERAÇÕES (QUASE) FINAIS

Prezados(as) alunos(as), que um novo concurso ocorrerá em 2023, meio que perdeu a ‘mágica’  em anunciar porque agora isso está meio que evidente. Estamos há quase dez anos sem renovação de pessoal e com metade da força de trabalho operando. Ademais, em 2023 já teremos superado essas eleições presidências e todas as amarras em torno dela!

Orientamos que mantenham suas revisões dado o nível de especificidades exigidos na prova. Não sabemos opinar sobre banca examinadora. Não sabemos afirmar (ninguém sabe, na verdade) se vai ter TI (no nível que caiu na prova do TCU) para todas as áreas... Sendo francos, acreditamos que um conteúdo mais ‘professional’ deva ser cobrado para as áreas de TI; áreas 1 e 2 de analista do BACEN, mas não vemos sentido ser cobrado para todas as áreas e nem é utilizado no nosso dia-a-dia no Banco.

O que podemos afirmar é que haverá vagas para SP, RJ e Brasília (maioria Brasília). Segundo comentou Fabio Faiad, talvez possa a prova ser realizada em todas as praças e não somente naquelas onde haverá vagas mas essa certeza virá somente com o edital. Sobre as áreas, é provável que tenhamos provas apenas para as áreas finalísticas; não mais para as de suporte.

 

O MACETES JÁ ERROU?

Infelizmente sim, em 2016.  Havia uma autorização assinada e aguardando publicação que foi buraco abaixo devido a todos os desdobramentos que o impeachment da ex-presidente Dilma Roussef e ascensão Michel Temer com suas medidas de austeridade desencadearam em todo o setor público.

Mas ACERTAMOS ao anunciar os concursos em 2001, 2004, 2008, 2012 para 2002, 2005, 2009 e 2013, respectivamente. Esperamos que nossos contatos estejam corretos quanto a 2023.

Bem, resumidamente, é isso. Desejamos a todos um ótimo início de semana.

 

São Paulo, 18-abril-2022

 

Curso MACETES

 

 

[1] https://macetesparaconcursos.com.br/news_01mar2022.html

[2] https://www.instagram.com/p/CbxyABHArWb/

[3] https://www.youtube.com/watch?v=RBqatXG2UTQ

[4] No caso de a atual gestão se manter, convidamos vocês à leitura minuciosa do Decreto dos Concursos Públicos de 28-março-2019 (Decreto No. 9.739 de 28-março-2019). Neste contexto, muito provavelmente não teremos mais concursos para atividades que não sejam típicas de Estado, finalísticas, ou seja, atividades para as quais determinado Órgão/Autarquia fora criado. Podendo o Governo terceirizar atividades acessórias, atividades meio. Caso ela (atual gestão) não se mantenha, talvez tal decreto perca o sentido.